sexta-feira, julho 03, 2009



Os Treze Anos
(Cantilena)

Já tenho treze anos,
que os fiz por Janeiro:
madrinha, casai-me
com Pedro Gaiteiro.
Já sou mulherzinha;
já trago sombreiro,
já bailo ao Domingo
com as mais no terreiro.
Já não sou Anita,
como era primeiro;
sou a Senhora Ana,
que mora no outeiro.
Nos serões já canto,
nas feiras já feiro,
já não me dá beijos
qualquer passageiro.
Quando levo as patas,
e as deito ao ribeiro,
olho tudo à roda,
de cima do outeiro.
E só se não vejo
ninguém pelo arneiro,
me banho co’as patas
Ao pé do salgueiro.
Miro-me nas águas,
rostinho trigueiro,
que mata de amores
a muito vaqueiro.
Miro-me, olhos pretos
e um riso fagueiro,
que diz a cantiga
que são cativeiro.
Em tudo, madrinha,
já por derradeiro
me vejo mui outra
da que era primeiro.
O meu gibão largo
de arminho e cordeiro,
já o dei à neta
do Brás cabaneiro,
dizendo-lhe: "Toma
gibão domingueiro,
de ilhoses de prata,
de arminho e cordeiro.
"A mim já me aperta,
e a ti te é laceiro;
tu brincas co’as outras
e eu danço em terreiro."
Já sou mulherzinha;
já trago sombreiro,
já tenho treze anos,
que os fiz por Janeiro.
Já não sou Anita,
sou a Ana do outeiro;
madrinha, casai-me
com Pedro Gaiteiro.
Não quero o sargento,
que é muito guerreiro,
de barbas mui feras
e olhar sobranceiro.
O mineiro é velho;
não quero o mineiro:
Mais valem treze anos
que todo o dinheiro.
Tão-pouco me agrado
do pobre moleiro,
que vive na azenha
como um prisioneiro.
Marido pretendo
de humor galhofeiro,
que viva por festas,
que brilhe em terreiro;
Que em ele assomando
co’o tamborileiro,
logo se alvorote
o lugar inteiro.
Que todos acorram
por vê-lo primeiro,
e todas perguntem
se ainda é solteiro.
E eu sempre com ele,
romeira e romeiro,
vivendo de bodas,
bailando ao pandeiro.
Ai, vida de gostos!
ai, céu verdadeiro!
ai, Páscoa florida,
que dura ano inteiro!
Da parte, madrinha,
de Deus vos requeiro:
Casai-me hoje mesmo
com Pedro Gaiteiro.

António Feliciano de Castilho

foto de Clarinda Galante
enviado pelo meu Lobo Serrano

11 Uivos:

Blogger Paula Raposo uivou...

Não conhecia esta cantilena! Obrigada pela partilha. Beijinhos, bom fim de semana.

12:44 da tarde  
Blogger sagher uivou...

inda me recordo de a dizer, num repetir impensado, mas na verdade é bonita

1:15 da tarde  
Blogger Clarinda Galante uivou...

Este comentário foi removido pelo autor.

4:24 da tarde  
Blogger Maria Clarinda uivou...

É bem bonita a cantilena, Maria e o nosso amigo gaiteiro ficou a matar.
Jinhos muitos

4:26 da tarde  
Blogger Rodolfo N uivou...

Linda y delicada, me gustó
Beijos, amiga!

1:21 da manhã  
Blogger mixtu uivou...

feliz do pedro gaiteiro...

lindo...

já traz sombreiro...

abrazo serranos

3:35 da tarde  
Blogger Maripa uivou...

Cantilena bem bonita que me fizeste relembrar...e que jeitoso ficou o Pedro Gaiteiro!

Beijinho,Maria.

1:15 da manhã  
Blogger Nilson Barcelli uivou...

Por incrível que pareça, não conhecia...
Ou então esqueci-me desta cantilena deliciosa.
Beijo.

5:02 da tarde  
Blogger OUTONO uivou...

Fizeste...o grande favor de me recordar...

Obrigado.

Beijinho

1:01 da manhã  
Blogger Vieira Calado uivou...

Um grande poeta (cego) do passado, hoje quase esquecido!

Bjs

8:52 da tarde  
Blogger jo ra tone uivou...

Mais uma que não conhecia.
Muito completa e interessante.Vou tomar nota.
Posso?
Beijinho

9:26 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home