domingo, novembro 05, 2006

Abrandar o passo

Há alguns anos, nas olimpíadas especiais de Seattle nove participantes,todos com deficiência mental, alinharam-se para a largada da corrida dos 100 metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si... terminar a corrida e ganhar.
Um dos garotos, tropeçou no asfalto, caiu e começou a chorar. Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás.
Então eles viraram e voltaram. Todos eles.
Uma das meninas, com síndrome de down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: -
Pronto, agora vai sarar!
E todos os noves competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada.
O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos...
Talvez os atletas fossem deficientes mentais...
>Mas com certeza, "não eram deficientes espirituais..."
Isso porque, lá no fundo, todos nós sabemos que o que importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho, é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique abrandar o passo

9 Uivos:

Blogger Daniel Aladiah uivou...

Já não me lembrava desta história verdadeira... fiquei emocionado.
Um beijo
Daniel

4:05 da tarde  
Blogger commonsense uivou...

Estes não erampropriamente deficientes. Eram diferentes, eram melhores e eram com certeza mais felizes. Deficientes mentais são aqueles que se dopam para ganhar.

8:49 da tarde  
Blogger LUA DE LOBOS uivou...

eu limitei-me a transcrever a notícia... estou plenamente de acordo.. são diferentes ... apenas!!!!
deficientes mentais são os que por aí andam aos montes e que estão a matar este país!

xi aos dois
maria

7:48 da manhã  
Blogger Avusa uivou...

historia bonita…

10:52 da manhã  
Blogger Chanesco uivou...

Esta história, para alem de um belo poema é um hino à amizade verdadeira.

Gostei de ouvir uivar o lobo.

Boa semana
Cumprimentos raianos.

11:07 da tarde  
Blogger miguel uivou...

Bonito, muito bonito mesmo!
Comovente!
Beijos,
Miguel
*A Beatriz manda-te um beijo.

7:06 da tarde  
Blogger Ana Patudos uivou...

Maria que acto maravilhoso.
Deficientes são aqueles que não sabem dar valor à amizade e ao amor incondicional.
Fica bem amiga
Ana Paula

8:13 da tarde  
Blogger deep uivou...

Boa noite!
Acabei de chegar aqui, aconselhada pelo Barão de Tróia II. Só ainda i o teu último post. Talvez não acredites - afinal acabei de chegar-: a história que contaste emocionou-me, emocionou-me mesmo. Por que é que as pessoas ditas "normais" não, genericamente, capazes desses gestos?

Fica bem.

1:02 da manhã  
Blogger Paula Raposo uivou...

Sem dúvida Maria!! Beijos.

12:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home