sábado, março 05, 2005

DESERTO


Contra o costado de uma nave de loucos,
ondula a areia fina do deserto-magia.
Repuxos frescos de luar
assomam entre os mastros de velas
enfunadas por sopro misterioso.
Indiferentes e frágeis,
dançamos, leves,
no tombadilho inclinado,
ao som de um prelude de Chopin.
Nos preciosos espelhos venezianos,
estranhamente espalhados contra a amurada,
nada é reflectido.
Um navio descansa,
(desafiando a compreensão humana),
nas dunas vermelhas e macias,
no vale do silencio.

3 Uivos:

Anonymous Lina uivou...

Este Deserto mexeu com os sentidos da minha alma.
Muito bonito.
Jokas

10:36 da tarde  
Anonymous Luisa uivou...

Gosto de barcos que não precisam de mar para navegar, de loucos que dançam ao som de Chopin e de repuxos de luar nas areias vermelhas

1:39 da tarde  
Blogger maria uivou...

e eu gosto de tudo o que não é preconcebido, predefinido ou regra ou lei :)

6:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home