quarta-feira, março 02, 2005

Aproximei-me perigosamente da bocarra do marmanjo e ia tombando com o bafo a aguardente.Aí passei-me dos carretos e dei-lhe voz de prisão. Nessa altura a minha fla(com 11 anitos e a conhecer a mãe que tem) saltou do carro e disse- vou já para as aulas!Então, manei-o entrar para o banco traseiro do carro,ele entrou a resmungar que eu não podia prender e eu a dizer que si a aa que é pardal-esquadra de Carcavelos com ele.Parei o carro junto ao PSP de plantão e disse-lhe- fazem favor tiram o vosso colega do carro porque o prendi.Agora descalçem a bota que não o quero ver mais...nem cheirar!!

1 Uivos:

Anonymous Marília Gomes uivou...

Eu nasci no distrito de Bragança e não consegui evitar sentir-me incomodada com a crueldade protagonizada por conterrâneos meus, relatada em “Âmbar”, um dos muitos contos escritos por Maria de São Pedro neste seu “Lua de Lobos”. Não tenho memória de situações semelhantes mas lembro-me do medo que nos invadia quando se pressentia a descida dos lobos à aldeia...
Confesso que nunca parei para pensar muito nisso e reconheço que pouco ou quase nada sei (ou sabia?) sobre lobos, a não ser o que aprendi nas aulas de biologia e nas histórias e lendas protagonizadas por eles. E, à excepção da “mãe” de Rómulo e Remo, todas as outras histórias me faziam crer ser um animal cruel, sangrento e traiçoeiro até aparecer alguém como a Maria e resolver despertar-me para uma realidade bem diferente. A sua paixão por estes animais resulta num fabuloso livro, onde as poesias e os contos se completam, numa viagem fantástica, pedagógica, mística e a transbordar de sensibilidade que nos envolve nesta cruzada que encetou de defesa dos “seus” lobos.
Não queria deixar de fazer referência ao sugestivo título escolhido. Lua e Lobos envoltos em mistério e magia, eternamente ligados, alheios à nossa ignorância, amando-se e cativando-nos através das palavras da sua ainda mais amante Maria.
Recomendo vivamente a leitura de "Lua de Lobos". Estou certa de que não se arrependerão nem darão por perdido o tempo que a ele dedicarem!

Para a autora, um bem-haja muito sincero!
Continua a espalhar aos quatro ventos, essa tua genuína maneira de ser e de estar neste mundo. Desejo-te o maior sucesso e reconhecimento do teu talento!
Fico à espera de te “aprender” ainda mais noutros livros que espero poder ler muito brevemente!

9:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home