segunda-feira, janeiro 22, 2007

ainda e sempre "Esmeraldas"

Não resisti a transcrever este post e além disso esclarecer que o texto do meu anterior post é da autoria de uma juíza do www.cleopatramoon.blogspot.com que me honra com a sua amizade e que revela uma sensibilidade invulgar... que bom seria mais uns quantos magistrados com este dom.

"Quanto ao pai adoptivo, ou simplesmente PAI que, inacreditavelmente, foi condenado por «sequestro», talvez merecesse uma condecoração no próximo 25 de Abril, pela sua generosidade, humanidade, dignidade e espírito de bem fazer que demonstrou ao acolher um bebé desprezado pelos pais biológicos!!! Oxalá que se esta menina for entregue ao pai biológico, não venha a ter o futuro que tiveram outras crianças vítimas de deliberações jurídicas semelhantes que vieram a sofrer maus tratos, violações, incentivos para a mendicidade e prostituição e até morte. Seria uma questão de bom senso que as autoridades pensassem principalmente nessa criança, já feita mulherzinha, que uma família generosa e caridosa ensinou a ser pessoa, em vez de se limitarem à aplicação cega e fria de uma lei iníqua. "

Obrigada A.João Soares pelas tuas palavras
xi a todos que se têm afligido e preocupado com este problema
maria de são pedro

3 Uivos:

Blogger Paula Raposo uivou...

É de facto inaceitável uma decisão dessas!! Concordo inteiramente com o que acabei de ler. Este país funciona de uma maneira um tanto estranha! Digo eu...beijinhos.

5:58 da tarde  
Blogger Quicocas uivou...

Realmente é triste vermos vergonhas destas em Portugal. Para algumas coisas somos europeus, para outras somos do terceiro mundo.
Beijinhos!!!

10:10 da manhã  
Blogger Cleopatra uivou...

Olá Maria
Tenho de confessar que não concordo com o João Soares.
E não concordo porque não se pode misturar alhos com bugalhos.
SEjamos claros E tu sabes que eu sou clara.
A minha postagem , a da estória da ESmeralda refere-se apenas ao que eu penso que pode sentir a Esmeralda e é um apelo a todos os adultos que directa ou indirectamente estão relacionados com ela e que, masi que neles, pensem nela.

Qto á atitude do "pretenso pai adoptivo" ao desobedecer à decisão que mandou entregar a menor ao pai biológico, tinha ela ao que aprece 13 meses, não me quero pronunciar mas... não será concerteza de medalhar no 25 de Abril.
Compreendo ,talvez a sua reacção impetuosa e teimosa, mas não posso elogiar um adesobediência à ordem de um Tribunal como Juiz que sou.

Compreendo que se tenha assustado por ver o traçado de vida que
delineou ameaçado, não posso contudo concordar que tenha atropelado a decisão ainda que a tenha considerado indesejada.
Tinha o recurso, fez uso dele... teria de esperar.....

De direito a constituir o recurso deveria ter efeito suspensivo, mas não tem. Tem efeito meramente devolutivo, o que quer dizer que a decisão tem logo de ser cumprida.

E a decisão que ordenou a entrega da menor na altura com 13 meses de idade ao pai biológico, nada tem que ver com a decisão que o condenou por crime de sequestro em 6 anos de prisão.

Há aqui neste caso um grande leque de interesses, de dores, de desencontros, de teimosias, de erros mesmo, mas o que me importa neste momento e agora, é única e simplesmente o INTERESSE DA MENOR.
~
A carta da Esmeralda é apenas um apelo aos adultos que directa ou indirectamente estão ligados a ela, técnicos ou não, para que tenham em conta em termos de presente e, de futuro, o que é melhor para ela.


Vamos com calma... separemos as águas não façamos confusão...
Abramos a alma e a sensibilidade, a todas as razões, ainda que nos pareçam sem razão.

Eu não falei das decisões.Não posso.Portanto nunca o faria.
Falei do Interesse da Esmeralda

Um grande beijo Maria.

10:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home