quarta-feira, novembro 02, 2005

Não tens de...



Não tens de me conquistar
impreterivelmente
neste milénio.
Se calhar
tens de me atirar um sorriso
ao canto da boca,
disfarçado e malandro.
Um baixar rápido
de pestanas
a encobrir a emoção
que te tocou
quando te olhei de raspão.
Um aceno rápido e fugitivo
de cumplicidades de outras vidas
agitam os teus cabelos
espessos e soltos.
Dou-te Paz.
Tu entregas-me gargalhadas.
Não tens de me conquistar neste milénio
mas se calhar
seria bem giro.

maria de são pedro

10 Uivos:

Blogger Rui uivou...

Seria com certeza.
Gostei muito de conhecer o blog. Belos textos.

12:44 da tarde  
Blogger paper life uivou...

Muito bom!

(quase tanto como foi ver-te :), só quase!)

Bjs. M

3:13 da tarde  
Blogger ricardo uivou...

e basta deixar que a poesia se faça no meio de nós.

para que possamos moldar as palavras aos sentidos. como faz tão bem.

*

7:03 da tarde  
Blogger Vera Cymbron uivou...

Que delicia esse poema. Estou a ler-te em casa... e a adorar!
Jinhos

7:07 da tarde  
Blogger Furão uivou...

Olha que o milénio ainda mal começou, tens muito tempo...
Gostei do que escreveste, só não percebi o que é que o Banderas faz ali...

Bjs

4:53 da tarde  
Blogger Zica Cabral uivou...

gostei mesmo muito . Está lindissimo
Um beijinho
Zica

6:29 da tarde  
Blogger Zica Cabral uivou...

gostei mesmo muito . Está lindissimo
Um beijinho
Zica

6:29 da tarde  
Blogger Luisa uivou...

A tua poesia flui como um rio. As tuas palavras aparecem nítidas, sentidas, naturais, fáceis.
Quem é poeta escreve assim.

10:53 da tarde  
Blogger Maheve uivou...

Poxa! Quando eu "crescer", quero escrever com essa lucidez...

12:04 da manhã  
Blogger Dad uivou...

Gostei do poema. Muito bonito mesmo...beijinhossss

12:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home