terça-feira, novembro 08, 2005

ISSO AÍ, COMO É?



ISSO AÍ, COMO É?

Sabes que ainda não consegui chorar?
É verdade.
Provavelmente tu aí,
até sabes que não estou a contar histórias
nem a armar em durona.
Uma amiga diz-me que estou anestesiada,
que de um momento para o outro,
quebro.
Eu acho que gastei todas as lágrimas
quando me disseste baixinho
que ias partir.
Gastei também as lágrimas
que já não tinha
ao pensar nas tuas dores,
no teu sofrimento
quando ainda estavas connosco.
A angústia foi-se,
deixando-me num vazio total.
Um remorso profundo
do que não chegámos a dizer,
por nunca te ter confessado
que me fazias rir mais que ninguém
e como me desatinavas
com as tuas “saídas” extemporâneas,
cheias de um humor inteligente
e desconcertante.
E as tuas gargalhadas?!
Bom.
Eu sei que não vou ouvi-las mais,
pelo menos enquanto não for ter contigo aí,
mas elas continuam a tilintar
junto a mim.
Sempre me disseram
que tenho ouvido de tísica.
Acho que têm razão,
pois podes crer que às vezes consigo ouvi-las...
Oiço mesmo.
Devem ter-me dado uma anestesia,
dose de elefante,
porque estou sem reacções normais
de alguém que perdeu uma Amiga
cuja amizade durou trinta anos.
Eu sei que essa amizade continua
em plano diferente,
que me vês
e que te deves divertir-te imenso
com as minhas famosas distracções,
as minhas “loucuras”,
os meus disparates.
Também te afligires-te
com os meus problemas,
os meus pânicos,
as minhas dúvidas.
Tentar de algum modo, minorá-los
e até mesmo dar daí um valente empurrão
para me ajudar a resolvê-los.
Com o teu senso de humor,
por vezes até caustico,
deves já ter posto o pessoal,
aí, desse lado,
todo a rir ou na pior das hipóteses,
suavemente desconcertado.
Porém,
ao passar este texto no computador,
as lágrimas rolaram,
incontroladas,
desfeita de tanta saudade.
O éter deve ter-se evaporado
e a anestesia foi-se.
Neste momento,
a única coisa que me ocorre,
é esta pergunta estúpida:
- Isso aí, como é?

8 Uivos:

Blogger Menina_marota uivou...

Arrancaste-me as lágrimas ao ler-te...

Chorar lava a alma, dizia-me alguém, num momento de grande comoção minha e, que me recusava a chorar. Até que um dia o "dique" rompeu-se...

Bela a tua Amizade... como belo é o teu coração.

Espero que estejas bem. Espero sinceramente, que as lágrimas que derramaste ao passar o texto, limpem a tua alma e te ajudem a sorrir.

Deixo o meu abraço e o meu coração também.

3:45 da tarde  
Blogger Poesia Portuguesa uivou...

Deixo um beijo solidário e comovido pela beleza do teu texto.

Jinhos ternos ;)

3:46 da tarde  
Blogger LUA DE LOBOS uivou...

foi há dez anos e só agora quebrei
obrigada pela solidariedade
maria

4:45 da tarde  
Blogger Furão uivou...

Quando se tem sensibilidade, quando se sabe amar, quebra-se sempre perante uma perda. Dez anos foi muito, parabéns por isso. Eu não aguentaria dez dias. Força e toma lá um beijo amigo.

11:47 da tarde  
Blogger José António uivou...

É (sempre) urgente soltar o grito. Só ele liberta definitivamente o espírito para este poder finalmente e em paz viver as recordações dos bons momentos, amordaçadas pelo sufoco da dor.

Foi o que senti ao ler o teu pungente texto. Libertaste o grito. E agora vais poder recordar com prazer e já não com mágoa (nostalgia, talvez... mas mágoa, não).
Todas as memórias, refundidas lá no fundo da escuridão, vão poder emergir sem medo de sairem cá para fora. Para nos poderes falar dessa amizade-amor que merece ser conhecida e lançada ao vento.

bjs,

3:14 da manhã  
Blogger Zica Cabral uivou...

o corpo vai-se mas o espirito permanece sempre em nós e à volta de por quem se passa. A vida é uma passagem e que bom que é quando cá estamos ter amigos como tu.
Um beijo grande e amigo da
Zica

6:26 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins uivou...

Lindo texto... amizade que por vezes se deixa "ir" por aquela pontinha de orgulho.

Em parte me revi aqui no teu texto.
Que mal tem em quebrar - quando se gosta!

Parabéns! muito bonito

Beijinhos

10:22 da tarde  
Blogger Vera Cymbron uivou...

Li muito do que escreveste até chegar a este antiguinho. Comoveu-me.
Jinhos

11:40 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home