sábado, setembro 10, 2005

MANHÃ FRIA



MANHÃ FRIA

Começado numa manha fria,
insegura de sol e desejos,
o Amor caiu, desamparado.
O rio mansamente levou-o,
entregando-o ao mar,
insaciável e apaixonado.
Nadou entre corais e medusas,
dançou com algas e cavalos marinhos.
Quando se cansou...
enrolou-se,
qual gato de telhado numa concha,
repousando numa pérola.
Todos os dias, caminho descalça
desfazendo a areia
numa busca infinita
de uma concha molhada,
uma pérola e algo divino enroscado nela.
O Amor será de novo aconchegado
nos braços de uma Mulher.

7 Uivos:

Blogger paper life uivou...

Que bonito, Loba, que bonito!

:D

Beijos!

10:31 da tarde  
Blogger Lina uivou...

Lindo Maria, já estava com saudades de ler um poema teu.

Beijo

10:24 da tarde  
Blogger Amigo de Alex uivou...

Lindo, um gato de telhado entrando numa concha para repousar numa pérola...
E existem alguma pérolas neste cantinho de alcateia ao luar!
Bj

1:42 da manhã  
Blogger batista filho uivou...

Beleza de poema a me deixar comovido.

12:12 da tarde  
Blogger Mocho Falante uivou...

Ora saí de um blog com a lágrima no olho e chego aqui vejo esta explosão de sensibilidade...

Assim não dá...

Fiquei estarrecido

Obrigado

12:03 da manhã  
Blogger Furão uivou...

...
"As ostras felizes riam-se dela e diziam: “Ela não sai da sua depressão...” Não era depressão. Era dor. Pois um grão de areia havia entrado dentro da sua carne e doía, doía, doía. E ela não tinha jeito de se livrar dele, do grão de areia. Mas era possível livrar-se da dor. O seu corpo sabia que, para se livrar da dor que o grão de areia lhe provocava, em virtude de suas asperezas, arestas e pontas, bastava envolvê-lo com uma substância lisa, brilhante e redonda. Assim, enquanto cantava seu canto triste, o seu corpo fazia o seu trabalho – por causa da dor que o grão de areia lhe causava."

...

"Ostra feliz não faz pérolas. Isso vale para as ostras e vale para nós, seres humanos. As pessoas que se imaginam felizes simplesmente se dedicam a gozar a vida. E fazem bem. Mas as pessoas que sofrem, elas têm de produzir pérolas para poder viver. Assim é a vida dos artistas, dos educadores, dos profetas. Sofrimento que faz pérola não precisa ser sofrimento físico. Raramente é sofrimento físico. Na maioria das vezes são dores na alma."

O que dizer desta "pérola"? Encontrei-a em:
http://www.rubemalves.com.br/quartodebadulaquesLXXV.htm

1:39 da manhã  
Blogger LUA DE LOBOS uivou...

um OBRIGADA por tudo o que escreveram para mim:)

8:31 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home