terça-feira, fevereiro 22, 2005

Manhã Fria




Começado numa manha fria,
insegura de sol e desejos,
o Amor caiu, desamparado.
O rio mansamente levou-o,
entregando-o ao mar,
insaciável e apaixonado.
Nadou entre corais e medusas,
dançou com algas e cavalos marinhos.
Quando se cansou...
enrolou-se,
qual gato de telhado numa concha,
repousando numa pérola.
Todos os dias, caminho descalça
desfazendo a areia
numa busca infinita
de uma concha molhada,
uma pérola e algo divino enroscado nela.
O Amor será de novo aconchegado
nos braços de uma Mulher.

Maria de São Pedro

3 Uivos:

Blogger LUA DE LOBOS uivou...

A minha vénia budista a uma AMIGA virtual que me deu a mão
xi
maria

10:23 da manhã  
Blogger Aromas Do Mar uivou...

Este poema colocado em forma de comentário no meu canto, fica aqui lindamente..., força Maria, vai em frente Mulher polivalente.

9:18 da tarde  
Blogger Cleopatra uivou...

Pinta-me este quadro.

11:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home